Loading...

domingo, 27 de março de 2016

INAD 2016 – EDUCAÇÃO É TUDO

Quando lidamos com um problema como a Poluição Sonora, devemos ser metódicos e cuidadosos, pois o a questão é complexa, começando pela sua falta de materialidade, ou seja, a Poluição Sonora é invisível e este aspecto dificulta a percepção da população e autoridades para o problema, tornando nosso trabalho muito mais difícil.

Em 2009, quando fui coordenador da ECPS (Equipe de Controle da Poluição Sonora), costumava pesquisar na internet em busca de auxilio para o problema que combatíamos em Fortaleza e em determinado momento descobri o INAD (International Noise Awareness Day), conhecido no Brasil como Dia Internacional da Conscientização Sobre o Ruído. 


Imediatamente fiquei encantado com o perfil educacional do evento, pois vi nele uma solução para a conscientização em nossa cidade e já em 2009 entrei em contato com a coordenação nacional e inclui Fortaleza no evento e até hoje, com exceção de 2011, Fortaleza participou de todos.
Os temas dos eventos são escolhidos ano a ano de forma participativa e sempre abordam temas pertinentes e com amplo apelo educacional:

INAD 2009


Durante todos os eventos participei como coordenador estadual do evento, oriundo de um gentil convite do coordenador nacional Stephan Paul, função que me permitiu incluir outras cidades do Ceará no evento (Juazeiro do Norte, Sobral, Carnaubal e Maracanaú), o viés educacional sempre foi forte e em cima dele inicialmente busquei uma parceria com universidades locais, mas não senti o interesse e apego necessário e logo em seguida busquei apoio e interação com escolas da faixa fundamental e assim os resultados começaram a aparecer, fruto do interesse das escolas e dos excelentes colaboradores que contribuíram em todos os anos.


INAD 2010

INAD 2011

INAD 2012

INAD 2013

INAD 2014

INAD 2015


Em 2016 o tema nos leva diretamente para dentro do mundo escolar: “Ruído: a solução está na educação” e me cativa de forma maior, pois ano a ano estivemos dentro do mundo escolar, sempre interagindo com os alunos e professores na busca pela conscientização para o problema do ruído.


INAD 2016


Interação que este ano se pronuncia mais forte, pois além dos eventos que estão sendo programados para o INAD, uma parceria com EMAUS, que é uma ONG sem fins lucrativos, atuante na comunidade Pirambu em Fortaleza/Ceará (uma das mais pobres da cidade) e que tem como principal objetivo lutar contra as causas da miséria, tentando construir uma sociedade mais solidária, mais justa, buscando melhorar o nível de educação na comunidade através de sua área educacional e nesta busca, traz os alunos de sua ilha digital para participarem ativamente da atualização da Carta Acústica de Fortaleza.

SEDE DO PIRAMBU DIGITAL


Os alunos passarão a receber aulas sobre o AUTOCAD e sobre o CADNA e no formato e exercícios aplicativos destas aulas, trabalharão diretamente nos mapas digitais da cidade, atualizando-os e em seguida trabalharão com o software de predição acústica, formatando a área relativa a Regional I da cidade de Fortaleza, produzindo de forma atualizada, os mapas de ruído daquela área da cidade.

Com esta parceria estaremos propiciando conhecimento aos alunos da ilha digital, agregando formação profissional e como resultado desta parceria, receberemos uma valiosa ajuda na complementação e atualização do mapa de ruído de nossa cidade.

Mas apesar do interesse da SEUMA (Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente) e do EMAUS, a falta de equipamentos compatíveis vem atrasando o início das aulas e nossa luta atualmente é a busca por computadores com bom perfil para a ilha digital em uma quantidade mínima de 10 e deste total já temos 2 (dois), um doado por mim e outro pela gerente da COL (Coordenadoria de Licenciamento) da SEUMA Astrid Câmara.


Esta postagem tem um objetivo diferente das demais, pois além da continuação das informações relativas ao tema, busca o auxilio de amigos que acompanham este blog para este projeto e pede que as pessoas que tenham computadores subutilizados com placa de vídeo e memória que possibilitem o uso de um software como o AUTOCAD, entre em contato com o EMAUS (Fabricio 85 999817163) ou através de meu email, que buscaremos uma forma de coletar ou receber os equipamentos que puderem se disponibilizados.

A cidade de Fortaleza representada pelos alunos da ilha digital do EMAUS agradece.

LINKS de interesse:




domingo, 13 de março de 2016

RUÍDO 0 x 3 MADRI

As cidades são muito antigas, cerca de 10.000 anos aproximadamente convivendo conosco. Inicialmente muito pequenas e primitivas, mas sempre nos atraíram, pois tendem a transparecer que será melhor para o nosso desenvolvimento, já que existem muitas oportunidades profissionais oriundas de uma intrincada cadeia de processos.

E nestes processos que fazem o pulsar da cidade, encontra-se o trânsito rodoviário, ferroviário e aéreo, além das indústrias e outros processos contaminadores do ruído ambiente rotineiro de nossas cidades, que deterioram nossa qualidade de vida.

Na Europa, as preocupações com a constante queda na qualidade de vida das populações que vivem nas grandes cidades, fez com que surgisse uma legislação europeia específica para avaliar e tentar controlar o problema. Está norma foi a DIRETIVA 2002/49/CE oriunda do PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO, com data de 25 de Junho de 2002 e tinha como tema a avaliação e gestão do ruído ambiente das grandes cidades europeias.

Esta norma continha um artigo muito interessante:

Artigo 7º
Elaboração de mapas estratégicos de ruído
1. Os Estados-Membros assegurarão que, até 30 de Junho de 2007, sejam elaborados e, se for caso disso, aprovados pelas autoridades competentes, mapas estratégicos de ruído relativos à situação no ano civil anterior, para todas as aglomerações com mais de 250 000 habitantes, todos os grandes eixos rodoviários com mais de seis milhões de passagens de veículos por ano, os grandes eixos ferroviários com mais de 60 000 passagens de comboios por ano e os grandes aeroportos situados nos seus territórios.

Este artigo fez com todas as grandes cidades europeias preparassem seus mapas de ruído e assim tivessem o diagnostico em relação aos níveis de ruído que deterioram a qualidade de vida de seus cidadãos. Poderíamos dizer que todas fizeram 1 x 0 contra o ruído, pois passaram a conhecer um problema ate então incômodo e invisível.

A norma ainda faz diversas exigências, inclusive a necessidade de um plano de ação para o controle do problema e a completa divulgação dos dados a toda população, além de refazer periodicamente os mapas de ruído.

Entre estas cidades europeias, algumas ampliaram seus estudos em relação ao problema, passaram quase que imediatamente a monitora-lo de forma online, estabelecendo uma rede fixa com equipamentos coletores de ruído em diversos pontos da cidade e passaram a ter informações instantâneas sobre o problema, ou seja, enquanto seus mapas de ruído davam uma ideia geral do problema com base na avaliação dos dias úteis e as influencias médias de utilização dos diversos tipos de transportes, indústrias e demais serviços contínuos, o monitoramento buscava confirmar e avaliar estes dados, além de propiciar uma visão instantânea do trecho avaliado e assim possibilitar uma intervenção direta e imediata. Assim considero que estas cidades fizeram 2 x 0 em seu confronto com o ruído.

Mas dentre todas estas cidades, uma realmente chama a atenção de todos: é Madri, capital e maior cidade da Espanha, que tem uma população de aproximadamente 3,3 milhões de pessoas, com uma área metropolitana com cerca de 6,5 milhões de habitantes e possui uma área de 605,8 km².

Madri incorporou com firmeza as preocupações e exigências ambientais oriundas da Diretiva Europeia e em seu projeto para atender a legislação, produziu seus mapas de ruído, montou uma extensa rede de monitoramento e acima de tudo, disponibilizou um excelente e amplo leque de informações dos resultados.


O primeiro Mapa de ruído de Madri ficou pronto em 2006 e foi amplamente divulgado. Ele foi dividido através dos distritos da cidade, como na figura abaixo, onde a região central é mostrada.
Área Central  do Mapa de Ruído de Madri_2006
O link a seguir mostra o resultado deste primeiro desafio vitorioso da cidade:




Em 2011, atendendo as exigências da legislação europeia, o mapa de ruído foi atualizado, mantendo-se o mesmo perfil de apresentação do anterior, mas com a melhoria das informações resultantes do estudo. 

A figura seguinte é o resultado para a mesma região central da cidade.

Área Central do Mapa de Ruído de Madri_2011
E os relatórios e mapas de toda Madri podem ser visitados através do seguinte link:


Assim a legislação estava sendo atendida com perfeição no mínimo exigível, mas seria isso o suficiente? Madri disse não e algo mais foi feito. Uma ampla rede de monitoramento foi projetada e implantada. Ela foi projetada com 30 estações fixas e 17 estações móveis.

Estrutura das estações fixas

Estrutura das estações móveis


As estações móveis dariam agilidade para monitorar áreas críticas e episódicas, teriam também importante uso em estudos e informações sobre o ruído ambiente de diferentes zonas da cidade, além de atenderem reclamações da comunidade e direcionamentos da área ambiental da administração pública. Também é um elemento de importância vital para elaboração não previsional da Carta de Ruído Noturna.
Estação móvel

De todas as funções importantes destas estações móveis, uma é espetacular: O Sistema de Atualização Dinâmica do Mapa Acústico de Madri, conhecido como SADAM.

Seus objetivos são cumprir com os novos requisitos estabelecidos na legislação da UE e da Legislação de Ruído da Espanha, desenvolvendo mapas estratégicos de ruído com maior confiabilidade do que os métodos previsionais tradicionais que usam modelos de computador, que tradicionalmente mostram os ruídos provenientes de veículos, transporte ferroviário, aeroportos e indústrias, sem possibilitarem a inserção de outros fatores não previstos matematicamente e que também contribuem com o ambiente sonoro da cidade.

O SADAM utiliza os dados coletados diariamente pelas unidades móveis que juntamente com os dados instantâneos das estações fixas e uma base de dados de 10 anos de coleta, propiciará a criação de um mapa de ruído dinâmico e com excelente confiabilidade de seus resultados, já que os dados coletados por ambas as redes são tratados e transformados em níveis sonoros diários e produzem assim um novo mapa acústico, modificando o já existente.
Estrutura do SADAM

A rede de coleta fixa é estrategicamente distribuída em toda a cidade e não conta apenas com os microfones e demais equipamentos para coleta de ruído, atendendo assim o segundo item de maior preocupação da OMS (Organização Mundial de Saúde), que é o ruído. As estações contam também com equipamentos de monitoramento meteorológicos e com um excelente sistema de controle da qualidade do ar que como o ruído, se coloca como um sistema de vigilância, previsional e de informação que se complementam.

Foto da estação da Plaza de Castilla

Estrutura da rede de monitoramento atmosférico

Toda a infraestrutura utilizada por Madri para o monitoramento da Poluição Sonora e da Poluição Atmosférica impressiona, mas o que mais encanta é a eficiência na divulgação dos resultados, que são amplamente disponibilizados aos cidadãos.

O site procura dar todas as informações necessárias para o cidadão, desde explicações técnicas do problema, divulgação de dados com seu histórico, informações atuais do tempo, qualidade do ar e do ruído, além de possibilitar a consulta individual dos dados de cada estação fixa e ainda envia ao cidadão, dados solicitados através de email.
Pagina referente ao ruído com indicação de onde se verifica
os dados instantâneos
Página aberta com os dados de cada estação de monitoramento


Página com a localização das estações de monitoramento, bastando
clicar para obter resultados

Quadro aberto com informações relativas a Poluição Atmosférica

Todas as informações relativas ao monitoramento de Madri podem ser acessadas através do seguinte link:


É fácil perceber que Madri tem conseguido se sobrepor ao ruído e percebemos que com seu esforço, marcou mais um tento contra o ruído. Em visita recente a cidade fui acompanhado por um estudioso do problema e que como cidadão que reside em Madri, elogia o trabalho do órgão ambiental e percebe que o monitoramento tem levado as autoridades a terem mais agilidade nas ações para combater o ruído e a poluição atmosférica.


O trabalho de Madri sempre foi uma referência para o trabalho de Fortaleza e mais uma vez nos espelharemos em seu trabalho para montar o sistema de monitoramento online de ruído de nossa cidade. Não serão 30 estações fixas e 17 móveis como Madri, inicialmente serão 5 fixas e uma móvel, para tentarmos igualar o placar de Madri contra o ruído.


Pesquisar este blog