Loading...

domingo, 4 de março de 2012

TINNITUS - O intenso zumbido no ouvido

Abaixo transcrevo uma entrevista dada pela Professora Dra. Karin Schorn, titular da cadeira de Otorrinolaringologia da Universidade de Grosshadern de Munique na Alemanha, sobre um grave problema da atualidade: o TINNITUS, que é um som parecido com campainhas no ouvido e outros barulhos dentro da cabeça que são percebidos na ausência de qualquer fonte de barulho externa.

A entrevista foi publicada no Magazine alemão BUNTE e coincidem com o trabalho publicado pelo Dr Joseph Bradfield publicado no jornal da American Tinnitus Association.

Se durante uma festa com a música um pouco alta, muitas vezes fico com um zumbido nos ouvidos, isto é Tinnitus?

Dra. Karin - De certa maneira sim, no mínimo é um alarme que você deveria levar a sério.
O que de fato se designa como Tinnitus ?
Dra. Karin - A pessoa afetada reporta escutar uma zoeira na cabeça, com os mais diversos sons, campainha, sino, cachoeira, cigarra etc. Estes ruídos são conhecidos como tinnitus.
Se ruído provoca tinnitus, significa que os meus filhos quando freqüentam discotecas e afins estão correndo riscos ?
Dra. Karin - Só posso dizer que sim, o ruído prejudica o ouvido interno, e muitos jovens após um concerto Pop ou terem freqüentado uma discoteca reportam zoeira. Naturalmente que uma sobre carga sonora também pode acontecer no local de trabalho, como numa Obra por exemplo.
Mas nem todos freqüentadores e trabalhadores desenvolvem o tinnitus?
Dra. Karin - Certamente que não, isto depende da intensidade do ruído, do tempo de exposição, da freqüência, e ainda da sensibilidade do ouvido interno de cada um. Na maioria, a zoeira é temporária, mas pode durar dias, ou tornar-se permanente e neste caso deve ser procurado um médico para tratamento.
Estes enervantes ruídos internos são percebidos somente pela própria pessoa atingida ?
Dra. Karin - Encontramos pacientes, alias raros, nas quais o ruído podia ser escutado externamente. Na maioria das vezes são percebidos somente pela pessoa. Quando os ruídos atingem este nível trata-se da chamada Emissão Otoacústica, são na realidade emissões sonoras que saíam do ouvido, mas que não mantém nenhuma relação com o Tinnitus clássico. Estas emissões também estão presentes nos animais, um dia destes o dono de um Cão me procurou, dizendo que não conseguia dormir, porque o seu cão apitava pelas orelhas.
Como se podem comprovar os ruídos do tinnitus ?
Dra. Karin - Primeiro deixamos que o paciente faça uma descrição do que diz ouvir, depois, por meio de um fone de ouvido lhe passamos o exemplo de alguns ruídos, para que possa caracterizar melhor o seu tinnitus. Quando determinamos a freqüência, podemos lhe enviar um ruído que se sobreponha ao tinnitus, provocando um chamado mascaramento, e assim também determinamos a intensidade do tinnitus.
Quem esta exposto ao tinnitus alem das pessoas submetidas a ruídos intensos ?
Dra. Karin - Fundamentalmente qualquer pessoa pode se atingida, idoso ou jovem, mulheres e homens. O maior índice é conseqüência de enfermidades ligadas ao ouvido médio, ouvido interno, ou do sistema nervoso central, onde os sinais são processados. Mas também muitos outros fatores físicos e psíquicos podem influir.
Quais por exemplo ?
Dra. Karin - Inflamação do ouvido médio nas crianças, Perda auditiva por doença das meninges ( meningite ), Tumor cerebral, diabetes, e muito importante, problemas na área da coluna cervical. Alias o tinnitus, também pode ser provocado por alguns medicamentos. Os pertencentes aos grupos dos diuréticos, antibióticos, cardíacos, e de combate ao câncer.
Estas são doenças muito diversas, porque elas podem contribuir para o tinnitus?
Dra. Karin - Porque todas podem contribuir à um deficiência de irrigação sangüínea das pequeníssimas células ciliares, responsáveis pela transformação dos sinais auditivos para o sistema nervoso.
O Estresse pode conduzir ao tinnitus ?
Dra. Karin - Sempre se tem reportado sobre esta conexão, Estresse e Tinnitus. De fato sobrecargas e exigências em excesso, podem pela via indireta, conduzir a um tinnitus. Hoje, nós já podemos falar sobre um tipo de portador de tinnitus. Ele é introvertido, extremamente sensível, estressado, tem tendência a pressão baixa, assim como um retesamento da coluna cervical.
A zoeira nos ouvidos não são muitas vezes frutos da Imaginação ?
Dra. Karin - Não, o tinnitus não é fruto de imaginação, e o paciente de fato escuta este ruído.
O Tinnitus pode causar surdez ?
Dra. Karin - Não, o contrario sim é possível, uma falta de irrigação sangüínea e outras enfermidades podem causar uma deficiência auditiva, e nos casos piores pode levar a uma surdez, aqui o tinnitus é apenas um coadjuvante que acompanha o problema.
E o que o médico pode fazer ?
Dra. Karin - Se o tinnitus estiver numa fase muito aguda, podemos recorrer a uma infusão a base de cortisona, temos tido alguns bons sucessos. O próximo passo é pesquisar a origem do tinnitus, enfermidades como inflamação do ouvido médio, problemas da coluna cervical, a possibilidades de um tumor na região do nervo auditivo. Se uma destas ou outras enfermidades foram identificadas como causadoras, devemos passar a terapêutica correspondente.
E se não forem encontradas outras enfermidades, e a cortisona também não ajudar ?
Dra. Karin - Nestes casos, procuramos fazer com que o tinnitus seja suportado pelo paciente da melhor maneira possível.
A solução mais elegante para mim, é fazer o paciente se desconcentrar do ruído, o que pode ser alcançado por um treinamento autógeno. Para pacientes mais jovens, recomendo adicionalmente a pratica de um esporte asiático como o Taekwondo ou Tai Chi, pois aqui são ministrados ensinamentos de meditação, onde a vontade se sobrepõe ao corpo. Existem algumas clinicas especializadas em tinnitus, que oferecem um acompanhamento psicológico e de Musiterapia por exemplo.
E quais tem sido os resultados alcançados ?
Dra. Karin - Isto depende muito da aceitação por parte do paciente de uma psicoterapia, da sua capacidade de concentração, necessário para o treinamento autógeno. Aqui o paciente aprende algo sobre as funções do organismo, relaxamento muscular, temperatura cutânea e irrigação, influindo através de técnicas especiais sobre o seu corpo. O paciente aprende a lidar conscientemente com o seu tinnitus, para modifica-lo, reduzi-lo, ou simplesmente ignora-lo.
O que a Sra. acha do tratamento Hyperbárico ?
Dra. Karin - Na nossa Clinica "Grosshadern" aqui em Munique, não obtivemos bons resultados. Em outras clinicas tem sido usada alternativamente com a terapia por infusão de cortisona.
E outros métodos de tratamento como a Ginkgo-Laser ou Apuncultura ?
Dra. Karin - O tratamento Ginkgo-Laser foi por nós examinado em quatro estudos independentes, em nenhum dos pacientes o tinnitus apresentou uma melhora. A acupuntura ao contrario, eu a considero válida como tratamento complementar, nos casos mais graves, em particular nos casos de contrações e terapias por infusão. Importante é que a acupuntura seja executada por um expert no assunto.
Que auxílio existe para o paciente no seu quotidiano ?
Dra. Karin - Podemos colocar no paciente os chamados mascaradores, que são aparelhos que imitam o tinnitus apresentado, se sobrepondo ao tinnitus do paciente. Este ruído artificial é reportado como sendo menos incomodo que o tinnitus. ( N.T. Os fabricantes, em sua maioria deixaram de produzir estes aparelhos, porque a cada modificação do estado do Paciente, pela ingestão de um medicamente por exemplo, muda a conformação do tinnitus no que tange a freqüência / intensidade e o aparelho tinha que ser readaptado) Uma outra solução com excelentes possibilidades de êxito é a adaptação de um aparelho auditivo. A maioria dos pacientes com tinnitus, tem em algum grau, maior ou menor, uma deficiência auditiva. No tratamento desta deficiência temos uma excelente oportunidade de atuar sobre o tinnitus, havendo uma melhora sensível em relação a sua tolerância. Para a maioria dos pacientes a fase critica da perturbação do tinnitus é a do pré-sono. Para desviar a concentração do paciente nesta fase, pode ajudar a presença de uma musica suave, o borbulhar da água num aquário próximo, e até um daqueles despertadores antigos com o seu tic-tac alto, tem contribuído para a desconcentração.
Pacientes portadores de Tinnitus podem voar, ou o seu problema se acentua com a mudança de pressão ?
Dra. Karin - Em princípio os pacientes podem fazer viagens aéreas, a única exceção é quando estão resfriados e sofrerem a obstrução do tubo de eustáquio, neste caso a pressão pode intensificar o tinnitus.

O TINNITUS atinge hoje 1 em cada 5 pessoas de acordo com pesquisa feita nos Estados Unidos, fruto de uma sociedade que a cada dia fica mais barulhenta e desta forma provoca exposição excessiva à ruídos tais como: armas, artilharia, aeronaves, cortadores de grama, cinemas, shows, boates , construção pesada, etc, que podem causar danos auditivos permanente. Algumas pessoas informam fadiga auditiva ao dirigirem automóveis por longas distâncias com as janelas abertas. O dano pode ser o resultado de uma única exposição ou de trauma cumulativo. Há "Ouvidos sensíveis", e "resistentes"; o que pode gerar dano a um indivíduo, pode não causar dano a outro. Se você sempre experiência zumbidos temporários depois de uma exposição a sons VOCÊ ESTÁ TENDO UM SËRIO RISCO DE TER TINNITUS E/OU PERDA AUDITIVA. Se você já tiver Tinnitus, eduque sua família, amigos, e vizinhos de forma que eles possam manter a audição deles saudável.
Qualquer pessoa regularmente exposta deveria considerar o uso de EarPlugs ou outro tipo de proteção auditiva. Usar earplugs é uma maneira de proteger sua audição contra lesões, bem como permitir que sua audição descanse sem estímulos externos. A faixa de atenuação pode variar conforme a freqüências: assim, se você é um músico ou técnico de som, você pode querer comparar preços de um earplug com resposta frequencial plana. Os dispositivos de proteção auditiva disponíveis no mercado tem seu Fatores de Redução de Ruído (NRRs) especificados pelos próprios fabricantes em condições ideais de laboratório e podem não refletir o desempenho real em situações do dia a dia. A maioria dos earplugs obtém uma média de 20dB de redução de ruído. Uma redução máxima de ruído (aproximadamente 50dB NRR) pode ser alcançado usando Earplugs em combinação com abafadores tipo concha, mas mesmo assim *algum* ruído será percebido por condução dos ossos do crânio em situações de volume extremamente altas. Os seguintes tipos de dispositivos de proteção auditiva estão disponíveis:
Earplugs moldáveis
Os moldáveis podem ser feitos em espuma, silicone, e cera e se ajustam ao canal auditivo. Por se ajustarem à forma do canal auditivo, estes são os melhores dispositivos de proteção de audição disponível hoje em dia, com NRRs que variam de 15-33dB. Com a vantagem de serem baratos, são facilmente encontrados em farmácias e lojas de material esportivo, e é reutilizável.
Earplugs Pessoais (Sob encomenda)
Este tipo de Earplug são feitos a partir de um molde tirado do canal auditivo do paciente isto deve ser feito por um profissional habilitado. O fator de redução de ruído obtido, varia de 27-29dB NRR, com o custo médio de US$ 30-70 nos Estados Unidos. (nota do tradutor: no Brasil ele é feito em empresas de aparelhos auditivos)
Earplugs com Filtro para Músicos
São uma variação dos Earplugs pessoais. que oferecem uma atenuação linear em uma larga faixa do espectro de freqüências. A atenuação sonora varia de 15-20dB NRR, e o custo médio é de US$ 50-150 nos EUA.

Pesquisar este blog