Loading...

sábado, 6 de novembro de 2010

Poluição Sonora em Fortaleza




A Poluição Sonora é definida pela ONU como a 3ª de maior impacto na população, mas a que apresenta o maior perigo por sua dificuldade de percepção e aceitação imediata de seus efeitos, que só são percebidos ao longo do tempo e que quando de sua incidência com impactos a níveis elevados, apresenta sequelas orgânicas irreversíveis.

Em palestra recente (agosto/2010), no ICA 2010 (Congresso Internacional de Acústica), realizado em Sydney na Austrália, Irene van Kamp (especialista mundial no estudo do impacto do ruído na saúde), enfatizou que a Urbanização continua e a economia de 24 horas, provocam doses de ruídos elevadas para a sociedade e que hoje se estuda a combinação das fontes de ruído e seu impacto e que os efeitos combinados entre a poluição do ar e da poluição sonora estão sendo avaliadas em conjunto e não mais separadamente, pois  passou-se a verificar que o impacto em conjunto destes fatores é extremamente perigoso para a sociedade, sendo um risco grave de saúde pública.

Quanto aos efeitos do ruído, já são bastante estudados pontos como:

  1. Perturbação no sono e seus efeitos maléficos à saúde no futuro
  2. Os riscos dos problemas cardiovasculares
  3. Saúde mental
  4. Reações aos stress psicológico
  5. Efeitos no sistema imunológico
  6. Efeitos no sistema bioquímico
  7. Perca da audição

E o resumo dos resultados das pesquisas é:
Efeitos
Evidencias
Situação
Valores Limites
Valores guias
Forma de medição
dB(A)
dB(A)
Incómodo
Suficientes
Ruído Ambiente
Lden
55
42
Bem-Estar
Limitadas
Ruído Ambiente
Ldn
50
35
Saúde Mental
Limitadas
Ruído Ambiente
Em estudos
Rendimento e desempenho
Limitadas 
Ruído Ambiente
LAeq -Escola
50 – 55
35
Suficientes
Escolas
Hipertensão
Limitadas 
Ruído do trânsito
LAeq-6 às 22

55
50
Suficientes
Ruído aéreo
Problemas cardiovasculares
Suficientes
Ruído Ambiente Trânsito
LAeq – 6 às 22
>55
60
Perda de audição
Suficientes
Recreacional
LAeq - 24horas
70(dentro do ambiente)





Efeitos
Evidencias
Valores limites
Forma de medição
dB(A)
Mudanças nos parâmetros EEG
Suficientes
SEL
35
Despertar
Suficientes
SEL
60
Início da motilidade
Suficientes
SEL
35 – 40
Qualidade do sono
Suficientes
Lnight
45
Freqüência Cardíaca
Suficientes
SEL
40
Humor
Limitadas
LAeq – 6 às 22
> 60
Níveis hormonais
Inadequadas
Em estudos
Sistema imunológico
Limitadas
Em estudos
Rendimento no dia seguinte
Limitadas
Em estudos

Observações quanto às tabelas:
1.     Quando se fala em limitados é devido os estudos atingirem apenas uma faixa de pessoas, no caso (meia idade).
2.     Estes números podem ser aplicáveis de forma diferente dependendo do país e de sua forma de vida.
Resumo em uma Pirâmide de Riscos:


Em Fortaleza, já estamos estabilizados no 3º patamar da pirâmide levando-se em consideração a junção de todos os fatores estudados na cidade e poderíamos estabilizar no quarto patamar se avaliarmos em separados as casas de show e veículos com equipamento sonoro acoplado que “infestam” nossa cidade. A grande maioria das casas de show realiza seus eventos com níveis acima de 100 dB(A), nível extremamente perigoso para seus frequentadores, além de não possuírem a necessária adequação acústica para evitar o incômodo aos moradores do entorno, já que a legislação de Fortaleza (Lei Municipal 8097/97) estabelece níveis máximos em seus artigos 2º e 3º, de forma a proteger os moradores vizinhos de qualquer estabelecimento produtor de ruído.

Os níveis de Fortaleza são considerados elevados levando-se em conta a ABNT, que tem níveis de conforto na média de 40 dB(A) para conforto no interior da maioria dos ambientes e nossa legislação prevê valores de 55 dB(A) e 50 dB(A) dependendo do tipo fonte.

Várias cidades brasileiras já reduziram seus limites a parâmetros mais aceitáveis, procurando adequar-se a ABNT, buscando também se aproximar de níveis aceitáveis praticados nos países de 1º mundo. Aqui alguns políticos buscam elevar os níveis locais, mostrando total desconhecimento do problema e desrespeito a população.

Quanto ao Aeroporto, é outro grave problema a ser solucionado, pois sua localização central é maléfica a saúde da população e a tendência natural é seguir os mesmos caminhos que a maioria das grandes cidades tem tomado: fechar o Aeroporto no horário noturno e proibir a operação de aviões com tecnologia defasada.

A luta continua em prol de um meio ambiente mais saudável e equilibrado.


Aurélio Brito
Gestor Ambiental e Especialista em Acústica





3 comentários:

Maiko disse...

O problema dos "paredões" é um real incomodo a toda população, talvez o mais grave q nossa cidade tem enfrentado ultimamente.
Porem o trabalho da secretaria do meio ambiente com intervenções mais duras em casas de show já traz resultados notórios ...

Parabéns!

sandrea disse...

PARABÉNS...TRABALHO ESPETACULAR.
A POPULAÇÃO DE FORTALEZA AGRADECE.

Cayman Moreyra disse...

Resta só uma perguntinha: Será que aqui funciona essa idéia de fechar o aeroporto segundo os padrões que que foram postados? Será mesmo que aqui, onde faturar alto é a meta não importando o sossego e a saúde de quem quer que seja, isso dará certo? O trabalho está mesmo espetacular como a Sandrea assinalou acima, mas aqui ainda é o Ceará, que por sinal, faz parte do Brasil, que por sua vez, é o país do jeitinho... para aqueles que tem algo a lucrar em cima da massa. Mas, pode ser que aconteça um milagre... de qualquer forma, você e aqueles que apoiam seu trabalho são heróis da resistência. E isso pode compensar algo.

Pesquisar este blog